Como participar na Investigação em Astronomia

Nos últimos anos, os cientistas tornaram-se mais ativos na divulgação da sua investigação ao público em geral. Este diálogo ajudou a quebrar o mito de que os cientistas são inatingíveis. Nos dias de hoje, cientistas estão a ir mais além e reconhecem que o público pode contribuir de forma significativa para a sua investigação. Tais iniciativas já inspiraram alguns “cidadãos-cientista” a levarem a cabo as suas próprias ideias de investigação.  

Com acesso livre para o melhor laboratório do Universo, o céu noturno, a astronomia possibilita várias oportunidades para ciência de “fazer-por-casa”. Aqui ficam alguns exemplos:

1) Participa num projeto de ciência-cidadã

Para uma lista de projetos fantásticos em astronomia e ciências do espaço, visita os sites do Spacehack, Zoouniverse e da Scientific American. Para saberes as últimas novidades sobre iniciativas de ciência-cidadã, visita o blogue dedicado disponível em plos.org (The Public Library of Science), uma organização sem fins lucrativos que também publica revistas científicas.

 

 

 

 

 

 

2) Junta-te a uma colaboração Pro-Am

Neste caso, astrónomos amadores e profissionais trabalham juntos em pequenas equipas de investigação. Um tipo alternativo de colaboração Pro-Am está ligado a estudos detalhados por profissionais de objetos/fenómenos descobertos por amadores. A revista Sky & Telescope tem muita informação dedicada a este tópico, numa seção dedicada a Pro-Am no seu site. Esta inclui detalhes sobre o serviço “AstroAlert”, que é um serviço de e-mail que alerta utilizadores de telescópios quando fenómenos celestes transientes acontecem (ou são previstos acontecer) e para os quais os cientistas precisam de imagens (CCD) ou outro tipo de dados obtidos por astrónomos amadores avançados. Existe também um prémio monetário, Prémio Edgar Wilson, que é oferecido a astrónomos amadores que descobrem novos cometas.

 

3) Organiza um “Hack Day” para a ciência (“Science Hack Day”)

O termo “hack” tem uma conotação negativa, mas significa simplesmente a procura de uma solução rápida para um problema. Um “hack day” é uma maratona dedicada à inovação científica: um evento de 24 a 48 horas (com pessoas a trabalhar dia e noite) para discutir e desenvolver novos conceitos que trarão benefícios para a ciência. Estes eventos são abertos ao público em geral e pretendem atrair mentes científicas e criativas para solucionar problemas. Um guia sobre como organizar este tipo de eventos pode ser encontrado aqui.

 

 

 

 

 

4) Faz o teu processamento de imagens de telescópios profissionais
Podes encontrar nos sites do Telescópio Espacial Hubble ou do Observatório de Raios-X Chandra informação sobre como fazer download de dados observacionais e criar as tuas próprias imagens astronómicas profissionais. Em 2012, foi lançada a competição “Tesouros Escondidos do Hubble” em que o público é convidado a vasculhar os arquivos de imagem do telescópio à procura de pérolas escondidas em imagens não processadas nunca vistas pelo público.

 

 

 

 

5) Apoia um projeto científico num site de crowdfunding

Existem muitas plataformas de crowdfunding na internet que te permitem investir na próxima estrela pop ou numa invenção de um empreendedor. Existem também alguns sites de crowdfunding que se dedicam especificamente a projetos científicos, como o FundaGeek ou o Petridish. São excelentes oportunidades para doares algum do teu dinheiro e dessa forma contribuir para projetos de investigação ou de divulgação que de outra maneira nunca veriam a luz do dia. Nestas plataformas tens direito a recompensas consoante o montante que investires. Por exemplo, no site Petridish há a garantia de que quem investe terá acesso a notícias sobre o progresso e descobertas, bem como presentes relacionados com a área do projeto, agradecimentos incluídos em artigos publicados, direitos sobre o nome dado a novas descobertas e até a possibilidade de se juntar a uma expedição.

 

 

Colaborações Pro-Amadores

Astrónomos profissionais estão cada vez mais cientes de como os astrónomos amadores podem contribuir significativamente para a investigação científica. Por exemplo, os astrónomos amadores podem levar a cabo projetos observacionais de longa duração que nunca seriam possíveis em observatórios profissionais, devido à “pressão” que estes têm. Há também outros estudos para os quais os telescópios de pequena abertura são os ideais.

Um tipo alternativo de colaboração Pro-Am está ligado a estudos detalhados por profissionais de objetos/fenómenos descobertos por amadores. A revista Sky & Telescope tem muita informação dedicada a este tópico, numa seção dedicada a Pro-Am no seu site. Esta inclui detalhes sobre o serviço “AstroAlert”, que é um serviço de e-mail que alerta utilizadores de telescópios quando fenómenos celestes transientes acontecem (ou são previstos acontecer) e para os quais os cientistas precisam de imagens (CCD) ou outro tipo de dados obtidos por astrónomos amadores avançados.

Em baixo podes encontrar uma lista de colaborações Pro-Am que já existem. Se gostavas de adicionar um projeto à lista, por favor contacta-nos

Projectos:

As Estações Rádio de Meteoros Belgas (The Belgian RAdio Meteor Stations - BRAMS)

BRAMS é uma rede de radiotelescópios belgas constituída por 25 estações operadas maioritariamente por amadores, incluindo a Associação Belga de Astrónomos Amadores (VVS). Uma das estações em Humain (a 60 km da antena de Dourbes) tem um interferómetro. O objetivo principal do BRAMS é calcular o fluxo de meteoróides e determinar as trajetórias de meteoritos.

A Base de Dados de Espectros de Estrelas Be e a ferramenta ArasBeAm (The Be Star Spectra database, and the tool ArasBeAm - BeSS)

BeSS é uma base de dados integrada no Observatório Virtual Europeu e liderada pelo Observatório de Paris que está online desde 2007 e é mantida por astrónomos amadores e profissionais. A ferramenta ArasBeAm é uma página online que ajuda os interessados em fazer observações de estrelas Be a escolher os objectos que requerem uma observação mais urgente.

O Grupo ConVento (The ConVento Group)

Um grupo internacional Pro-Am dedicado à física de estrelas massivas. O objetivo deste grupo é organizar campanhas de observação longas com fotometria e espectroscopia e está aberto à participação de amadores e profissionais com interesse na área.

Sistema de Processamento de Dados de Sinalização (Beacon Data Processing System)

Um site dedicado ao apoio automático de operadores de antenas na submissão de dados, bem como ao acesso do operador/professor/público aos dados de arquivo dos satélites GeneSat, PharmaSat, O/OREOS e NanoSail-D.


Esta versão em português foi traduzida por voluntários da Astronomy Translation Network (Rede de Tradução de Astronomia), coordenada pelo National Astronomical Observatory of Japan (Observatório Astronómico Nacional do Japão) e pelo IAU Office for Astronomy Outreach (Gabinete da União Astronómica Internacional - UAI -  para Divulgação da Astronomia).

Traduzido por Bruno Ribeiro
Revisão de Catarina Leote
Revisão científica de Tiago Campante

Data: 31 outubro 2018

 

IAU 100 Years: Under One Sky

“IAU 100 
Years: Under One Sky

Subscribe to the e-Newsletter

CAPj

IAU Code of Conduct (PDF)

Code of Conduct

IAU Strategic Plan 2020–2030

Strategic Plan

Membership

How to Become a Member

IAU Office of Astronomy for Development

Office for Astronomy Development

IAU Office for Young Astronomers

Office for Young Astronomers

IAU Office for Astronomy Outreach

Office for Astronomy Outreach

IAU e-Newsletter
Volume 2019 n° 9

Latest e-Newsletter

Symposia and Meetings

Meetings

Astronomy Outreach Newsletters and Events

Outreach Newsletters

International School for Young Astronomers

International School for Young Astronomers

UNESCO-IAU Portal to the Heritage of Astronomy

CAPj

International Year of the Periodic
Table of Chemical Elements

Latest e-Newsletter